Enquete
Qual estação do ano você escolhe para seu casamento?
 
Afrodisíacos

Muito interessante... vale a pena saber!

Afrodite - Deusa grega da beleza, da fertilidade e do amor.


 

Afrodisíacos na História


Através dos séculos, a humanidade tem se preocupado em melhorar a arte de amar, aprimorando a qualidade do sexo. Pesquisar as qualidades estimulantes dos alimentos faz parte da história das civilizações.

Muitas receitas afrodisíacas foram se perdendo com o passar do tempo. Algumas, porém, sobreviveram até hoje, graças à tradição oral, que preservou tais ensinamentos através das gerações.


Na Grécia Antiga

Para os gregos, o culto a Afrodite tinha uma preocupação efetivamente religiosa de ceder à sensualidade. Considerando-se que o melhor da vida era a busca do prazer, eram realizados festivais orgíacos, em que o consumo abundante de poções e alimentos afrodisíacos tinha por finalidade o extravasamento desse preceito.

Na culinária, tinham preferência por cebolas, cenouras e trufas. Depois ovos, mel e abacaxi. Ovas de esturjão, lesmas, peixes, crustáceos e frutos do mar.

As cortesãs gregas tinham por hábito usar o perfume da violeta em suas zonas erógenas. Este, misturado ao suor e às secreções femininas, estimulava homens de diferentes idades, excitando os mais jovens e aliviando a melancolia dos mais velhos.


Outras Práticas

Cleópatra, nas suas aventuras amorosas, passava uma pasta de mel com amêndoas moídas em suas partes íntimas para que os amantes a lambessem.


Prduzida por M.H., colaboradora do C&Cia.



          

 Pontos e regiões erógenas
 A contracepção na História
 O penhoar - “peignoir ou robe”
 Sexo por sexo
 Sensualidade no Casamento

                      Publicidade
Advertisement

Advertisement

Advertisement

Advertisement

               Guia de serviços
Anuncie no C&Cia

Lista de Presentes

Calígrafos e Convites


Anuncie no C&Cia

Anuncie no C&Cia

Anuncie no C&Cia